Relíquias. As do dia-a-dia. Sentidos. Os pulsantes. Luzes. Os excessos das sombras. É quase sempre de verdade, quase nunca por inteiro e, com sorte, com alguma sujeira final pra polir... Intentos. Os desde criança. Açúcares. Os que amarguem no final. Topos. Os de cume desconfortável. Vergonhas cantadas em coretos centrais, pintadas de nu pra parecer espontâneo. Colaborações. As de gosto, por favor!

quarta-feira, fevereiro 27, 2008

Me irrita o desencontro



Sobre isso, tenho a dizer o mesmo que tenho a dizer sobre a estatística de ruivos japoneses com heterocromia da íris.

Um comentário:

danilo disse...

ah, cansei
tentei comentar, mas ta com erro isso aqui.

Tinha feito uma piadinha bem legal, mas pelo jeito o blog ta sem senso de humor

(Hetero come quem??)