Relíquias. As do dia-a-dia. Sentidos. Os pulsantes. Luzes. Os excessos das sombras. É quase sempre de verdade, quase nunca por inteiro e, com sorte, com alguma sujeira final pra polir... Intentos. Os desde criança. Açúcares. Os que amarguem no final. Topos. Os de cume desconfortável. Vergonhas cantadas em coretos centrais, pintadas de nu pra parecer espontâneo. Colaborações. As de gosto, por favor!

sexta-feira, março 14, 2008

Caixa Postal


Eu já fui melhor, baby.

Hoje, o que te posso oferecer é esse escombro de mulher...
Já não brilho como antes, nem a maquiagem me cai tão bem.

Mas agora, amor, eu preciso que você seja sincero. Não tema em me causar dor, os homens todos de minha vida me fizeram forte.


Existe na Terra, algo tão poderoso e de tamanho fascínio, de fronte brilhante e crueldade virginal que me reviva, me inspire novamente a, fatalmente, me sufocar?


imagem: Mulher Cão, Paula Rego.

Um comentário:

Cabraforte disse...

dificil!!


Fernando Cabral