Relíquias. As do dia-a-dia. Sentidos. Os pulsantes. Luzes. Os excessos das sombras. É quase sempre de verdade, quase nunca por inteiro e, com sorte, com alguma sujeira final pra polir... Intentos. Os desde criança. Açúcares. Os que amarguem no final. Topos. Os de cume desconfortável. Vergonhas cantadas em coretos centrais, pintadas de nu pra parecer espontâneo. Colaborações. As de gosto, por favor!

terça-feira, janeiro 29, 2008

El poder


imagem: Raul Pietranera

Um comentário:

Júlio disse...

belo lembrete:
em algumas semanas preciso fazer a declaração de imposto de renda.
obrigado.